Já sentiu a reação das crianças ao se verem em uma história?

Temos dois “produtos” aqui na Fábrica: um modelo por assinatura, em que enviamos uma história diferente por mês, e um com histórias de aniversário

Pelo que percebemos, a maior parte de histórias de aniversário são dadas não pelos pais para os seus próprios filhos, mas sim para os filhos dos outros (incluindo colegas de escola ou familiares). O resultado é incrível. 

Como ninguém espera, na prática, receber um livro com sua foto na capa e seu nome protagonizando o enredo, há uma mescla de choque com ansiedade sensacional pela leitura. Aliás, ressalto este ponto: ansiedade pela leitura. 

Não é exatamente isso que queremos desenvolver em nossas crianças para que elas se tornem adultos mais cultos, inteligentes e preparados para encarar o futuro? 

Sei que sou suspeito para falar mas, ao menos aqui em casa, esse virou o presente oficial das festas dos amigos da minha filha 🙂

Quer saber mais? Clique aqui e conheça o livro personalizado de aniversário da Fábrica!

Mais inúmeras histórias a serem contadas

Até hoje, todos os meus posts foram relacionados a histórias contadas para a minha filha Isa, de 5 anos. E foram descobertas fenomenais, confesso: a cada nova fábula, a cada novo conto, mundos novos foram se multiplicando para nós dois: enquanto as sinapses se turbilhavam na sua cabecinha, eu também acabava descobrindo-a a cada novo brilho de olhar, a cada pergunta interessada, a cada “wow” escapulido dos seus pulmões. 

Pois bem: na segunda, minha segunda filha, Alice, nasceu. 

Nova jornada à vista!  

Claro: Alice ainda terá que esperar alguns anos para começar a receber esse fluxo de narrativas loucas retinas adentro… mas já estou tonto de ansiedade para começar. 

Multipliquemos, então, as histórias. E as descobertas. E esses momentos tão incríveis que temos com os nossos filhos. 

Esta semana sou só felicidade 😉

Fábrica agora trabalha com boleto

Temos dois tipos de produto aqui na Fábrica: os livros por assinatura e os livros de aniversário, vendidos de maneira avulsa.

No caso do primeiro, claro, trabalhamos efetivamente apenas com cartões de crédito e PayPal – não há como gerir assinaturas mensais com boleto a não ser inserindo um fluxo manual de checagens que inviabilizaria o processo como um todo.

Mas, no caso dos livros personalizados de aniversário, a coisa já muda de figura. Como não há recorrência – trata-se de um pagamento único – já é possível escolher entre todas as modalidades mais relevantes de compra (cartão de crédito, PayPal e, a partir de agora, boleto bancário).

O post de hoje é curtinho, só pra dizer isso mesmo 🙂

Conheça o livro personalizado de aniversário!!

Acabamos de lançar, aqui na Fábrica, um projeto diferente: um livro de aniversário.

A ideia é simples (e, ao menos em nossa imodesta opinião, fantástica 🙂 ): publicamos um livro personalizável voltado para aniversário de crianças.

Seu funcionamento é diferente:

Não há a necessidade de assinatura, neste caso: todos podem fazer uma compra avulsa diretamente no site

No ato da compra, a personalização é bem mais completa: a foto da capa, a ilustração dos personagens e seus nomes geram um livro com uma história diretamente relacionada à festa de aniversário dos pequenos.

Temos também duas opções: a compra do livro em si, que chega nos mesmos moldes e tamanhos que os livros da Fábrica (A4), e de pacotes que incluem lembrancinhas para os convidados (livrinhos com a mesma história, só que em formato menor, A6).

Nesse caso, tanto convidados quanto os pais podem aproveitar e dar aos pequenos aniversariantes esse presente incrível: um livro personalizado tendo a própria criança como personagem principal!

Curtiu? Confira lá no nosso site, no www.fabricadehistorinhas.com.br e dê o presente de aniversário mais sensacional do mundo 🙂

10% de desconto e entrega garantida antes do Natal

Precisa dizer mais do que já está no título deste post? Pois é: para quem estiver interessado em aproveitar a época, criamos um cupom que dá direito a 10% de desconto em todas as mensalidades e a entrega garantida do primeiro livro personalizado antes do Natal.

Como fazer?

Simples: basta acessar o http://www.fabricadehistorinhas.com.br e fazer a sua assinatura. No processo, insira o código de cupom NATAL2016 e pronto: o valor será alterado automaticamente e você já receberá a primeira historinha para ler com seu filho ou filha!

Cabe apenas uma observação: o cupom é válido apenas até o dia 15 de dezembro!

Sendo assim, aproveite: o Natal está logo ali e não há presente melhor do que um que valha pelo ano todo!!!

161203_FH_LinkAD_Natal.png

 

 

As duas línguas portuguesas nas historinhas da Fábrica

“Esse projeto está muito fixe!”, disse a Teresa, uma das mães da nossa parceira Storytellme, editora portuguesa, quando apresentamos o conceito da Fábrica de Historinhas.

Confesso que ficamos daqui, do outro lado do Skype, olhando um para a cara do outro sem entender se havíamos recebido um elogio ou uma crítica. Nos minutos seguintes constatamos: ela havia gostado. “Fixe” era algo como  “legal”.

Ufa!

Como todos os livros que temos até o momento na Fábrica são de origem portuguesa, mergulhei imediatamente na tarefa de adaptá-los ao nosso brasileirês… e fui descobrindo todo um outro mundo.

 

Descobri que, além de “fixe”, havia todo um universo de palavras inexistentes pelas bandas de cá. Descobri que tempos verbais inteiros (como o futuro do pretérito) mal são falados do outro lado do Atlântico.

Descobri que lá se fala “aspeto”, e não “aspecto”; e “facto” ao invés de “fato”.

Descobri que a pontuação tem outro estilo, outras regras, outra fluidez. Se você já leu Saramago, certamente foi impactado pelo tamanho quase angustiante das suas frases. Pois é: esse não era o estilo próprio do mestre lusitano e sim o idioma em si, com todas as suas regras gramaticais.

Enfim, descobri que o português de Portugal escrito é tão exótico, aqui para nós, quanto o falado. E é também incrivelmente belo, lúdico, fluido.

Deveria então manter os livros da Fábrica na língua-mãe? Não – não faria sentido adotar escritas e concordâncias erradas sob os parâmetros ortográficos e gramaticais brasileiros. Não faria sentido “des-ensinar” crianças, claro. Fui, então, para uma espécie de meio de caminho.

Para dar mais ritmo, acabei traduzindo grafias e ajustando frases, mas preservando parte da “forma” e do estilo de pontuação de cada parágrafo. É meio difícil de explicar, eu sei – mas é como se os livros daqui da Fábrica fossem escritos em um terceiro português, feito para unir o melhor dos dois mundos de maneira meticulosamente articulada.

Apesar de suspeito para falar, fiquei muito satisfeito com o resultado – e os primeiros pais que já receberam as historinhas, pelo que temos colhido de feedback, também.

Em outras palavras: ficou muito, mas muito fixe mesmo 🙂

l_e_c_2